Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Coragem...

por Bolinha de Pelo, em 01.04.16

Adorava ter uma tatuagem, tenho até um “carimbo” de uma pata do meu cão num papel para algum dia que consiga ter coragem a ir fazer, o que tenho dúvidas, pois pelo que conheço de mim, possivelmente esse “carimbo” nunca vai saír do papel.
Tenho verdadeiro horror a agulhas, a sangue, a feridas.
Destabilizo totalmente um laboratório de análises....é algo superior a mim...
Às vezes ocorre-me um pensamento mesmo estúpido, mas, aterroriza-me pensar que um dia a vida de alguém possa depender de uma Traqueotomia na hora e a única pessoa presente seja eu, no entanto, reflectindo sobre a hipótese de fazer uma Traqueotomia a alguém, obviamente que jamais a faria, agora, numa circunstância momentânea talvez a fizesse...não sei, porque a verdade é que a coragem ou a falta dela acabam por ser relativas.
A falta de coragem só existe quando temos tempo de pensar nela, de ponderar sobre o que nos aterroriza e darmos hipótese ao medo de nos dominar, porque quando nos deparamos com circunstâncias momentâneas que nem temos tempo para pensar, a verdade é que conseguimos fazer coisas que nunca imaginámos conseguir fazer na vida.
Há 4 anos atrás um gato que a minha mãe tinha atacou-a num braço de uma forma brutal, de tal forma que ficou com o braço todo aberto e com “rios” de sangue a sair e não estando mais ninguém presente na altura além de mim, nem pensei no meu desespero em ver sangue e até ao momento da ambulância chegar consegui estancar-lhe o sangue...nem se pode dizer que tenha sido algum ato de coragem, mas sim, uma circunstância momentâneas em que não existiu um pré-pensamento, tempo de “abrir a porta” ao medo...
Estamos vivos, e no fundo todos os dias são dias de coragem, porque venha o que vier vamos ter que o enfrentar e certas vezes enfrentamos situações na vida que nunca pensámos alguma vez ter força para tal, mas acabam por ser as circunstâncias que nos dão essa força e essa coragem.
Em tantas circunstancias da vida, penso que o meu maior momento de coragem e digo maior momento porque tive que pensar e refletir sobre ele antecipadamente, foi dizer à minha mãe que o meu pai ia morrer. Passei dias e dias a ganhar coragem para o fazer....
A verdade, é que todos os medos que nos dominam, como o meu medo de agulhas, de ver sangue, o medo do escuro, de alturas e por ai adiante são medos banais, medos “luxuosos” que alimentamos e que nos limitam a coragem, porque, na vida vivemos todos corajosamente pois não existe outra opção...
Costuma-se dizer que são as circunstancias da vida que nos vão tornando mais fortes, mas na verdade não nos vamos tornando mais fortes, temos sim a força nas horas que precisamos dela e toda essa força são verdadeiros momentos de coragem...

12729284_578407092314293_373489343824576702_n.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:22


10 comentários

De marrocoseodestino a 13.04.2016 às 16:52

Eu sou uma medricas piegas e choro com facilidade, mas há alturas em que tenho de ser forte e sou. Situações em que pensando nelas antes de as viver achava que não iria conseguir supera-las.
Só quando estamos nelas é que sabemos como vamos reagir.
Quanto à tatuagem...eu tenho uma e se eu tive coragem de a fazer acho que qualquer pessoa o consegue.

De Bolinha de Pelo a 14.04.2016 às 14:17

Eu com agulhas e sangue sou mesmo um drama...até desmaio a tirar sangue...drama total...eh eh..mas pode ser que um dia tenha um "ataque" de coragem e faça a tatuagem...tb, a pata de um caniche é pequenina...É verdade, no fundo acabamos por superar tudo...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor