Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...A geração de "Os fins justificam os meios"...

por Bolinha de Pelo, em 26.11.15

Cheguei à conclusão que é praticamente impossível darmos a nossa opinião sobre qualquer assunto no Facebook sem que apareça um cabrão qualquer do contra que nos decida ofender...

Cada vez que comento um post publico está sempre algum filho da puta "escondido" que após os meus comentários se “mostra” para me vir lixar o juízo....

“Cabrão” e “Filho da puta” são realmente expressões demasiado fortes para me referir a alguém mas a realidade é que se tornam muito pouco ofensivas perto do resto do repertório de adjetivos ofensivos que me ocorrem...

E também acho que é de uma tremenda falta de educação as pessoas que comentam os comentários dos outros nesses posts públicos quando se podiam simplesmente limitar a dar a sua opinião no post...

Então, acabo por ter verdadeiros “duelos” no Facebook porque até ao final também não me calo, arranjando sempre um argumento válido que justifique a minha opinião quando na verdade o mais inteligente seria calar-me quando sou bombardeada com argumentos ofensivos por "camelos ignorantes" que não tem melhor resposta para dar e a ofensa pessoal é o único argumento que lhes resta...sempre ouvi dizer...”A ofensa é o argumento dos ignorantes”...não podia ser mais verdade...

É incrível, as “voltas” que as pessoas conseguem dar para dar uma resposta quando não a têm...

Não existe nada pior que discutir com ignorantes, principalmente se esses ignorantes forem "ignorantes radicalistas"..... o que não se concorda automaticamente é-se acusado do oposto...se discutimos com um radicalista de direita somos apelidados de comunistas...se discutimos com um radicalista de esquerda somos apelidados de Salazares, se discutimos com um homossexual radicalista somos aplidados de homofóbicos..se discutimos com um negro radicalista somos aplidados de racistas...e por ai fora...

Na verdade há pouco tempo houve uma situação com o José Rodrigues dos Santos no erro "ele/ela" com o Alexandre Quintanilha que mostra a estupidez dos radicalismos aliádos á ignorancia...José Rodrigues dos Santos quase foi crucificado e apelidado de inúmeros adjetivos...e teve até que se desculpar publicamente...

Pessoalmente não acredito que ele o tenha feito propositadamente e que fosse “sujar” a sua imagem assim frente às câmaras tanto como apresentador e como escritor, no entanto a comunidade homossexual radicalmente caiu-lhe em cima com acusações e exigências de todo o tipo...uma situação destas pode destruir a vida de uma pessoa que possivelmente nem o fez por mal...

No fundo esta situação tal como tantas outras são radicalismos que tomam as proporções que tomam porque são “sustentadas” por associações que enquanto por um lado lutam por direitos por outro mantém viva a ideia de que o “mal” existe constantemente e está sempre "á espreita para se mostrar" e elas vão existir sempre para o combater, pois essa garantia é a sua única forma de sobrevivência eterna...a sua razão de nunca deixar de existir...

Na realidade, na vida acaba por ser tudo um “negócio”...mesmo quando se faz o bem, existe sempre uma forma “escondida” de “negócio”...

Os partidos de direita são “sustentados” pelo medo das politicas radicalistas de esquerda...os partidos de esquerda são “sustentados” pelo medo dos partidos radicalistas de direita, as associações que defendem os direitos homossexuais são “sustentadas” por casos que “intensificam e garantem”” a homofobia, as associações que defendem animais são sustentadas por casos que "intensificam e garantem" os maus tratos...os sindicatos são "sustentados" pelos direitos nunca adquiridos dos trabalhadores e dos patrões...enfim...no meio do bem que fazem acaba por haver sempre o tal “negocio” que lhes garante a sobrevivência de forma a nunca existir a sua extinção...e mais uma vez me deparo com uma frase que me tem ocorrido face a este novo governo...”os fins justificam os meios”...na realidade vivemos numa sociedade em que essa frase melhor nos define...vivemos segundo “Maquiavel” com uma diferença...ele defendeu essa frase em voz alta...a nossa sociedade atual faz uso dela na sombra à espera que ninguém se aperceba...

Relativamente a este governo, foi formado basicamente assim.....o PS aceitou a esquerda para ir para o poder e derrotar a direita e a esquerda apoiou o PS para derrotar a direita e fazer prevalecer as suas exigências...e no final temos um governo formado por uma força política e apoiado por duas, todos eles com ideais tão diferentes entre si ao ponto que dificilmente conseguem pensar na hipótese de virem a serem uma coligação...e este primeiro final foi ganho independentemente dos meios usados para se atingir, o que me faz pensar quanto tempo de sobrevivência terá um governo formado assim...que tipo de estabilidade apresenta....na realidade, e eu não percebo muito de politica, mas futuramente vejo um governo que se vai manter á base de exigências chantagens e cedências porque não são uma união...uma partilha de ideias conjuntas...a única coisa que os uniu realmente foi derrotar a direita...face a essa vitoria da derrota da direita passaram a ser simplesmente um apoio sustentados uns pelos outros em que os fins vão justificando os meios para se atingir objetivos...

 E ainda não acaba aqui a parte “dos fins justificarem os meios”, afinal António Costa, não é um simples politico do partido socialista..ele foi um “aprendiz” de ´”José Sócrates”  e os seus fins de certeza se estendem mais longe como bom “professor” que teve...tão longe ao ponto de futuramente fazer “desaparecer” as “esquerdas” ou reduzindo-as a uma mera “insignificância” e assumindo-se o PS como uma nova força “anti direita a pender para a esquerda”, sem necessitar do “apoio” de uma esquerda “de fora”, porque já a “conquistou” para si...Uma jodada de "Mestre"...nem Harry Potter como "aprendiz" de feiticeiro se safou tão bem...

Mas na realidade não é só Portugal...é o mundo inteiro que vive em base da celebre frase de Maquiavel...tal como o atentado em França...nada me tira da ideia que aqui os fins também justificaram os meios...nada me afasta da ideia que este atentado em França e este aparato todo em torno do terrorismo não seja mais que um plano conjunto da Europa para travar a entrada desenfreada dos refugiados na Europa...tipo “um mal menor” para travar “um mal maior”...e mais uma vez “os fins justificam os meios”...

...E até para os “cabrões”, “filhos da puta” e “camelos” do Facebook que esperam “escondidos” pelos comentários dos outros para os “refutarem” os fins também justificam os meios, nem que seja “aderir” à ofensa pessoal quando não se tem argumentos validos para se responder...e para esses aqui vai o meu "Bem Haja"...

mmmmmmmmmmmmmmmmmm.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:51

       12144771_916879488403890_2615604111713435938_n.jpg

 

 

E lá chegou o meu dia de anos...o dia do calendário que mais detesto...
Faz precisamente hoje 5 anos e meio que a minha avó morreu e 3 anos, 3 meses e 3 dias que me interrogo sobre todas as “verdades” da minha vida...
Desde o dia 3 de Maio de 2010 que deixei de “assoprar velas”...
Acho que existem momentos na nossa vida que nos vão acompanhar sempre até ao fim da nossa existência...por mais tempo que passe serão sempre nítidos...tão reais que nem o factor tempo os faz sumir...ficarem minimamente indecifráveis...darem-nos a oportunidade de os recordarmos sumidamente como tantas outras coisas...
Recordo-me como se fosse hoje do dia em que o meu pai me ligou a dizer que a minha avó tinha morrido e da estranha sensação que senti...alivio pelo final inalterável tão temido e torturante e ao mesmo tempo uma das piores sensações de vazio da minha vida
..Esperei 15 dias por esse telefonema...
É irónico, mas quando alguém está a morrer temos sempre a ideia que vai ser durante a noite...que vamos receber a noticia de manhã...nesses 15 dias todas as manhas ligava para a minha tia a tremer para saber se ela já tinha ligado para o hospital...sempre com medo da resposta...
Desejava o final e ao mesmo tempo que não terminasse...é um sentimento indecifrável...tanto desejamos que termine aquele “inevitável” e ao mesmo tempo receamos o vazio desse final...
Toda esta espécie de “terror” indecifrável que me acompanhava todas as manhãs acabou por ser irónico, porque a minha avó acabou por morrer às 19 horas da tarde..num momento em que eu me sentia minimamente descontraída...
A ultima vez que tinha visto a minha avó tinha sido á 15 dias atrás, na tarde antes dela entrar no primeiro estado de coma...como sempre despedi-me dela a chorar e a ultima frase que ela me disse ao mesmo tempo que me beijava a mão e o braço foi “Sais sempre de ao pé da avó a chorar...a avó fica tão triste”...desde esse dia cobardemente nunca mais tive coragem de a ir ver...acho que foi a atitude mais cobarde da minha vida...devia-lhe esses últimos momentos...
Quando o meu pai me ligou a dizer que a minha avó tinha morrido o primeiro pensamento que me ocorreu foi “Como vou sobreviver sem a minha avó?”...
Na realidade sobrevivi...tal como pensei que a minha mãe nunca ia sobreviver sem o meu pai...também sobreviveu...e desde á 3 anos, 3 meses e 3 dias em que me apercebi que toda a minha vida foi uma mentira, depois das duas pessoas que tanto amei mostrarem uma face que não conhecia e que ainda hoje me pergunto quais as razões... Também sobrevivi....
 
Na realidade sobrevivemos sempre ao pior de tudo...a sobrevivência não é opcional...não temos outra alternativa...é-nos imposta e temos que a aceitar..e...se o meu dia de anos passou a ser marcado por esse dia 3 de Maio em que me passou a faltar a coragem para conseguir “assoprar alguma vela” como forma de celebração, estes 3 últimos anos fizeram-no perder todo o sentido..mas ainda acredito que algum dia possa vir a ter algum significado....no dia que eu conseguir deixar de sobreviver e conseguir ultrapassar....

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:51

Ultimamente, perante certos comentários que tenho visto no facebook sobre os refugiados e os migrantes dou comigo a pensar que talvez não sejamos ainda nós os seres que atingiram o patamar da evolução humana e ainda nos faltam alguns patamares para lá chegar.

Pessoalmente, não sou a favor da entrada dos refugiados nem dos migrantes em Portugal ou em qualquer outro país que se encontre a viver a crise económica que estamos vivendo.

Também acho injusto que o nosso país ou qualquer outro que se encontre na instabilidade económica que nos encontramos, com uma elevada taxa de desemprego e de tantas pessoas a passarem mal prometa trabalho e condições aos que entram, quando não as dá aos que cá vivem.

Também é de uma injustiça de todo o tamanho a ideia de todos aqueles que investiram nas suas casas e que por alguma razão as não conseguiram pagar, principalmente devido ao desemprego acabaram por as perder para os bancos, agora as vejam ser ocupadas por quem chega e aos que ca vivem e vivem na rua somente lhes seja aberta as portas do metro nos piores dias de inverno e depois devolvidos outra vez á rua.

Acho todas essas situações injustas sim, e um grande desrespeito pelo povo Português a quem foi e continuam a ser pedidos sacrifícios para pagar uma divida da qual não tem culpa.

Isto faz-me pensar, se o governo Português não está a enganar os refugiados com promessas de mentira, então enganou-nos a nós, afinal, se o que havia era pouco para nós e durante estes anos tem-nos sido tirado tanto, de um momento para o outro há de sobra para receber um numero ilimitado de pessoas?

 

A realidade, é que a entrada dos refugiados e dos migrantes no nosso país, ou em qualquer outro com uma fraca economia como a nossa, vai ser um caos para nós e um caos para eles, porque o triste final presumível somos nós a vivermos pior e eles a viverem tão mal ou pior que nós.

 

Essas são as razões pelas quais não concordo com a entrada deles no nosso país..razões puramente económicas... de sustentabilidade, porque a realidade é que o pedido de asilo é um direito que têm as pessoas que vem de países em guerra como é o caso dos refugiados que vem sobretudo através da Grécia e de Itália, já não dos migrantes, que não vem com uma condição tão urgente, vem simplesmente em busca de melhor nível de vida, mas não correndo nenhum perigo de vida, pelo que penso que o correcto seria resolver primeiro o problema dos refugiados, partindo dos países com uma economia estável e prospera que os possa receber sem prejudicar o seu povo e dando-lhes realmente as condições a que se comprometer.

Mas, o facto de eu não aprovar a entrada dos refugiados e dos migrantes em países endividados e com uma economia decadente, não os odeio, e acho de uma desumanidade total as palavras de ódio contra eles que tenho lido em certos comentários no facebook...na realidade eles só se estão chegando ás fronteiras a pedir ajuda, não têm culpa daquilo que lhes é prometido pelos países aos quais se dirigem...

Para sermos sinceros e minimamente humanos, para essas pessoas pagarem balúrdios a traficantes para as meterem em botes sobrelotados e sem segurança nenhuma, se aventurando pelo mar independentemente das condições, a passarem sede, frio e fome durante dias, a arriscarem morrer pelo caminho,a ver os seus filhos a morrerem, essas pessoas devem-se encontrar num grau de terror e desespero total, em que ficar no seu país e então a Síria em que a guerra já dura à anos sem se ver um final, que para eles talvez entre a incerteza da morte todos os dias no seu país e a incerteza da morte num risco momentâneo de sobrevivência se arriscam ....afinal vale sempre mais a certeza de um dia, que a incerteza de muitos....
Nem se pode dizer que seja um acto corajoso aventurarem-se num bote assim, porque não o é...é sim um acto de desespero.

Outros comentários que também tem corrido o facebook é sobre a maior parte deles terem hiphones.
Talvez, todos nós ocidentais, e duvido que escapasse um, se decidíssemos entrar num bote á deriva uma das coisas que levávamos de certeza, seria esse “objecto”.

O hiphone na mão dos refugiados está sendo visto como um luxo, quando na verdade não o é...é simplesmente o único meio de comunicação que tem com os que ficam e para se comunicarem com os que já se encontram nas fronteiras, uma forma de obterem indicações, de se guiarem...de darem noticias...enfim, uma forma de sobrevivência...se são hiphones em vez de simples telemóveis esquecemo-nos da realidade dos países que estamos a falar, em que o contrabando é uma forma de vida.

Por curiosidade, tirei a pouco tempo um curso pelo instituto do emprego em que me apercebi que num curso inteiro eu era a única pessoa que tinha um telemóvel "normal"...para ser ainda mais sincera não sei bem o que é um hiphone...ou essas coisas do género...são coisas que não ligo e também as acho demasiado grandes e pouco praticas para andarem no bolso...mas reparei que todos os meus colegas tinham esses “telefones” enormes...e se forem realmente os tais hiphones vamos julgar um desempregado por ter um hiphone???

Outra questão que também está sendo debatida em comentários é o facto de deixarmos entrar no nosso país pessoas com uma cultura tão diferente, baseada em extremismos e que em muitos aspectos viola os direitos humanos e nem se adequa à nossa constituição.

É verdade sim...o aspecto cultural é sem duvida o mais marcante pelos seus hábitos, modos de vida, tradições e crenças...dificilmente nós ocidentais conseguimos olhar para eles como seres “civilizados”...aliás,perante alguns actos olhamos para eles como verdadeiros “animais irracionais”, sem respeito nenhum pelos direitos humanos...mas infelizmente por muito errada que seja é uma cultura que vive na mentalidade de um povo guiado por tradições.

Obviamente não temos que a aceitar ou compreender, mas o facto de vivermos culturas totalmente opostas dá-nos o direito nos tornarmos desumanos?

Também não podemos julgar uns pelos outros, afinal, muitas dessas pessoas fogem de perseguições no seu próprio país por se quererem afastar de certas tradições e hábitos, pelas suas oposições...

Na verdade nós ocidentais evoluídos quantas vezes presenciamos barbaridades nos nossos países...dispersas...mas existem, cometidas por ocidentais evoluídos...um exemplo rápido, passando pela pedofilia nas igrejas, escolas e no seio familiar, os maus tratos a crianças, as violações,os abandonos, lembrei-me agora da população de Vila Flor quando queimou o gato vivo por mera tradição...na realidade entre nós povo ocidental existem selvagens...simplesmente a nossa cultura evoluiu e eles encontram-se dispersos em vez de em tribos...

Na segunda-feira passada fui ao cinema no centro comercial Vasco da gama e na parte dos restaurantes vi aquilo a que chamo de uma cena “inédita”, tanto que fiquei a pensar se o que se passou não seria uma cena para os apanhados, porque ainda agora quando penso nela não sei que sensação me provoca...

Um casal acabou de comer numa mesa e deixou lá os pratos ainda com comer.Chegou um rapaz de mochila com um aspeto razoável, sentou-se na mesa do casal que tinha saido. Tirou um garfo e uma faca da mochila e começou a comer o comer dos pratos que os outros tinham deixado.Acabou de comer, limpou o garfo e a faca, voltou a mete-los na mala e foi-se embora na maior descontração...

Foi uma situação quase surreal...não só eu me apercebi como outras pessoas se aperceberam e olhavam perplexas para o rapaz a comer...a verdade é que se essa cena foi mesmo real, não fazendo parte de nenhum apanhado faz-me pensar o que somos nòs???Em que estamos nos tornando????

 

Então, resumindo, como disse não sou a favor da entrada nem dos refugiados nem dos migrantes em nenhum pais que não garante a sustentabilidade dos seus,mas não me sinto no direito de a impedir por mais injustiçada que me possa sentir, porque penso... será humano deixa-los morrer nas fronteiras, ou depois do que passaram para vir obriga-los a regressar ao seu país para morrerem la ou no caminho???

Podemos nós seres humanos virar costas á tentativa de sobrevivencia de outros seres humanos???Podemos nós lhes barrar essa hipótese de sobrevivencia???

Não sei..mas cada vez tenho mais certeza que o ultimo patamar da cadeia da evolução não somos nós

 images0YVY96ET.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:50


Afinal o que é isso de "Humildade"??

por Bolinha de Pelo, em 27.07.15

Fazemos parte de uma época em que grande parte da espécie humana, senão a maior parte, praticamente "vive" dentro do site social que é o facebook... chega a ser quase como se o facebook fosse uma segunda dimensão, ao ponto de grande parte da espécie humana viver mais tempo lá dentro que propriamente cá fora...

Considero-me então, uma pessoa bastante tradicionalista quanto a esse "modo de vida" e "embirro" com a "realidade saudável" que essa segunda dimensão nos roubou...na realidade, actualmente viver "fora" do facebook é como ser uma ovelha fora do rebanho..

Para ser sincera, mesmo com os meus níveis de colesterol a rebentar penso que as minhas sandes gordurentas e cheias de condimentos conseguem ser mais saudáveis que esse site social chamado facebook...mas, de entre as inúmeras coisas que detesto no facebook, existe uma que me tira realmente do serio, que é a quantidade de postes partilhados por grande parte das pessoas que usam o facebook referentes á "humildade"...

Não sei se algumas pessoas partilham esses postes simplesmente porque acham as frases bonitas ou se inconscientemente se identificam...o que chega a ser irónico, o contraste entre as mudanças repentinas de fotos de perfil e as famosas selfies,seguidas de uma publicação de um poste a louvar a humildade...a exibição de um carro ou uma mota nova procedido de um poste a louvar a humildade...a ostentação de uma mesa cheia de comer e bebidas, com um outro poste pelo meio a expressar a humildade...irónico..sarcástico,...olhando para estes contrastes estampados assim tão frontalmente, existem momentos que só consigo associar o facebook a uma espécie de comedia satírica...o facebook sem duvida supera os limites do que pode ser humanamente aceitável...

Na realidade a humildade tem um significado muito vasto...talvez Jesus Cristo tenha sido verdadeiramente uma pessoa humilde...talvez Madre Teresa de Calcutá também o tenha sido...talvez mais um ou outro seres humanos da historia o tenham conseguido ser no sentido vasto do que significa ser humilde, mas a verdade é que o ser humano na realidade não o é...porque ser humilde é muito mais do-que aquilo que nos permitirmos ser...

Eu pessoalmente acho essa historia da humildade uma grade treta...associa-se a humildade ao respeito....á honestidade...á cordialidade...quando na realidade não tem nada a ver...

O respeito...a honestidade...a dignidade...são características que fazem parte do carácter, e para possuirmos essas características não temos necessariamente que ser humildes e seguir uma das frases tão famosas da bíblia "Quem se humilha será exaltado, quem se exalta será humilhado"...

Na verdade não me considero uma pessoa nada humilde...respeito somente quem me respeita...sou honesta com quem o é comigo...sou cordial com quem também o é...

e no que se refere a que ninguém é melhor que ninguém e estamos todos ao mesmo nível que os outros...a definição mais profunda de humildade...essa considero-me no patamar totalmente oposto...não somos todos iguais e é profundamente falso afirmar que o somos....quem o afirma não é humilde...é mentiroso...

A minha dignidade...mais uma das características atribuídas ao ser humilde que não sou, não me permite igualar a certos "patamares" da espécie humana..como pessoas sem escrúpulos e mau carácter...pedófilos...violadores...pessoas que maltratam animais e outros seres humanos, pessoas que descriminam pela cor, pelo sexo e pelas opções sexuais e toda essa escumalha sem valores e sem moral....e sinto-me realmente superior e orgulhosa de não pertencer a essa espécie...superioridade e orgulho...dois opostos da humildade..o que me torna arrogante...um outro oposto da humildade...

e ainda existem as diferenças mais básicas e ate mesquinhas em que os seres humanos se distinguem...mas que existem e pelas quais temos o direito de nos distinguir...não me vou comparar ao mesmo nível do meu vizinho do lado que é um porco javardolas e não toma banho simplesmente porque tem maus hábitos de higiene...não me vou comparar ao mesmo nível do vizinho da frente que grita ordinariamente na rua tudo o que lhe apetece...e tantos outros factores que nos fazem olhar para o lado e pensar "Bolas...."

Na realidade somos todos iguais pela cor...pela raça.....pelo sexo.. pelas opções sexuais...pela religião...essas características que fazem muitas vezes alguns seres humanos mais ignorantes olharem para os outros com desdém são as características que mais nos igualam...somos todos seres humanos iguais independentemente da cor, sexo, raça, religião ou opções sexuais...São essas caracteristicas que temos obrigatoriamente que aceitar com humildade ..

somos somente diferentes pelo que cada um possui no seu interior...só o interior nos distingue e só pelo nosso interior temos o direito e ganhamos o orgulho de nos podermos distinguir e superar..só pelo nosso interior podemos condenar ou julgar o interior de outro ser humano e é um direito que temos e por mais humilde que alguém se caracterize toda a gente o faz....

Na verdade quando alguém se diz humilde...o afirma...está a ser tudo menos humilde porque a humildade não permite que nos vangloriamos...é o ato de o ser realmente sem o dizer...mas se-lo é utópico no ser humano...e essa  afirmação de humildade no fundo, acaba por se transformar numa característica hipócrita que o ser humano possui, porque o ser humano não resiste á vaidade de se poder gabar de ser algo de transcendente...

E a vaidade??que mal tem a nossa afirmação de valorização pessoal sobre algo em que somos realmente bons e temos noção disso??? Porque não expressar o orgulho quando sabemos que existe algo que nos distinguimos e superamos???...

Não sei, se ser humilde fosse realmente uma característica possível no ser humano se seria algo bom ou mau...eu pessoalmente não vejo o significado de humildade como uma virtude e usado da forma que é tão banalizada acaba por ser uma hipocrisia...

Como disse Friedrich Nietzsche o meu filosofo preferido   " a humildade é uma falsa virtude que dissimula as desilusões que uma pessoa esconde dentro de si."...talvez...e para terminar nada como "Demons" dos Imaginary Dragons..

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:34


Santo António que mal te fiz eu????

por Bolinha de Pelo, em 15.06.15
E o bairro do Alto do Pina constituído por quatro ou cinco habitantes do bairro que ao longo dos anos se mantiveram fieis á tradição e uma serie de desconhecidos vindos sabe-se lá de onde lá conseguiu conquistar o primeiro lugar nas Marchas populares de Lisboa e as cadeias televisivas lá conseguiram transmitir as tais imagens de "praxe" tipicamente bairristas com um porta voz sem um dente em baixo na parte da frente da boca a falar e a sorrir para as camaras e outro a cair de bêbado fazendo uso de um termo também tipicamente bairrista "Conseguimos trazer o CANECO para o bairro"...

Na realidade este meu ponto de vista depreciativo no que se refere á entrevista dada ás televisões deve-se a um único fator...sendo as Marchas populares de Lisboa uma tradição típica nossa não deveria existir um certo cuidado...orgulho, na imagem que apresentamos perante as camaras televisivas, principalmente da Marcha vencedora???

Talvez o pensamento errado seja o meu e talvez fosse mesmo esta imagem de "marketing" que estava destinada a ser passada...As Marchas são "populares" e o "povo bairrista" é uma "miséria"...

Para ser sincera nunca gostei das Marchas populares, primeiro porque é um tipo de evento que não me atrai, mas também pelo simbolismo no que se refere ao "nascimento" das Marchas criadas durante o regime salazarista com o objetivo de distrair o povo da realidade vivida na altura e fortalecer o regime ditatorial existente ..enquanto o povo se diverte não pensa e vai "adormecendo" os seus ideais...

Na realidade toda esta "fantochada" continua... e atualmente estas festas das cidades que decorrem pelo Pais a fora vão mantendo o mesmo "espirito salazarista" de outrora...o "esquecimento" de um Pais empobrecido e endividado...

também não sou nada "bairrista". Apesar de ter nascido no bairro do Alto do Pina e de ainda cá permanecer sou o que se pode chamar do "oposto do ser bairrista" o que acaba por ser uma contradição viver a escaços metros do ginásio do Alto do Pina , o que me faz, desde que o Alto do Pina obteve pela primeira vez um primeiro lugar nas Marchas, enquanto as raparigas solteiras pedem ao Santo António um noivo eu peço ao Santo Antonio que o Alto do Pina não ganhe as Marchas... 

Na véspera de Santo António cheguei a casa por volta da meia noite e meia e da forma como os habitantes do bairro e dos locais circundantes ao bairro se manifestavam á porta do ginásio do Alto do Pina enquanto as Marchas ainda decorriam na Avenida tive um leve "flashe" de que a Marcha do Alto do Pina tinha ganho e que mesmo antes de terminar o desfile na Avenida já o sabiam, o que não foi de todo errado pois ao contrario do que foi noticiado na televisão que o resultado só se soube de manhã, a partir da uma e picos da manhã começaram de forma estrondosa os festejos da vitoria do bairro, o que me fez pensar que provavelmente o desfile das Marchas na Avenida seja apenas mera tradição e a votação um simples encenamento do que já se havia decidido antes, estando os marchantes sujeitos ao "sigilo" até finais do desfile...infelizmente desta vez a emoção deve ter sido tanta que os "Altopinenses" não resistiram a esperar pelo final da votação para festejarem...

Nessa noite horrível deitada na cama a olhar para o ar e já me tendo mentalizado que não ia conseguir dormir tentei-me distrair do barulho ensurdecedor com alguns pensamentos e ocorreu-me se isto das Marchas populares não é tudo um grande "negocio"...Durante anos Alfama conquistou o primeiro lugar so tendo perdido uma vez para o Castelo se não estou em erro...alias, durante tantos anos o primeiro lugar foi de Alfama que era quase como se fosse um dado já adquirido antes de acontecer... e de repente é "destronada" por um bairro que ficava sempre  tão afastado dos primeiros lugares...não sei, mas isso ocorreu-me á medida que perguntava "Santo António que mal te fiz eu"?

Também não existem duvidas que a figura mediática da Teresa Guilherme foi uma excelente aposta para madrinha da Marcha...possivelmente o bairro do Alto do Pina ainda pode vir a dar muitas audiências á TVI num "Big Brother" ou numa "Casa dos segredos" constituido pelos participantes das Marchas do Alto do Pina e apresentado por Teresa Guilherme , afinal, modéstias á parte, mas o meu "bairro" possui sem duvida alguma os elementos com o perfil adequado aos reality shows tão apreciados pelo povo português...

E se o Santo António não me "livrou" da vitoria do Bairro do Alto do Pina ao menos me livre de algum "elemento" do Alto do Pina ler este meu "desabafo"... 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:23


FELIZ 2015

por Bolinha de Pelo, em 30.12.14

E lá nos encontramos outra vez prestes a entrar num novo ano...aquela passagem do 31 de Dezembro para o 1 de Janeiro que nos permite "gozar" de um sentimento de renovação...a saída "ilusória", de um "espaço velho" para um "espaço novo" prontinho a ser estreado...usado...uma sensação aparente de mudança...

O mundo gira e nós "giramos" com os anos...renovamo-nos no inicio de cada ano....esmorecemo-nos pelos meios....saturamo-nos nos finais ao mesmo tempo que ansiamos o novo para voltar a renascer no inicio..

Estes "finais" e "inícios" impedem-nos de ver a vida como um espaço continuo...como um "mundo fechado" acabando por nos transportar para estas "camadas" dividindo a vida em "fases"..."parcelas"..."finais" e "renascimentos" que mesmo que ilusoriamente acabam por tornar a vida mais fácil porque no fundo todo este simbolismo acaba por nos conceder o que no fundo suporta a vida... "esperança"

Na realidade o dia 1 de Janeiro é apenas um banal dia seguinte como tantos outros dias seguintes porque no fundo a vida não é mais do que simples "momentos"...momentos bons...momentos maus...momentos menos bons...momentos menos maus...só existem "momentos"...no fundo é isto a vida...

Decisões para o "ilusório" 2015????

Desistir do que me faz mal...

Desistir destes últimos dois anos...simplesmente desistir sem olhar para trás e seguir em frente...

Desistir do que não entendi e desistir de querer entender...

Desistir de estar "magoada" com o mundo inteiro porque "alguém" no mundo me magoou

Desistir de perder o meu tempo

Nesta ultima véspera de Natal entendi uma coisa...quando éramos muitos..apesar de "presentemente" próximos éramos todos distantes...agora somos poucos mas somos verdadeiramente chegados...

Durante anos, nos numerosos que éramos vivemos um ideal de valores simbólicos de família...mas só hoje nos poucos que restamos adquirimos verdadeiramente esses valores...

Sendo assim...para a minha mãe, a minha mana o Paulo e o Luís..a minha família...desejo o melhor 2015 do mundo...para as duas pessoas amigas que me acompanharam na noite de Natal e que apesar de não serem da minha família trouxeram a essa noite o "espírito" do que realmente é Natal...união e amor ao próximo...o mesmo desejo... e como não podia deixar de ser a todos os meus amigos que me acompanharam em 2014 nos tais momentos bons e maus e que vão entrar comigo o tal "ilusório" 2015 o mesmo sentido desejo de um excelente 2015

O ano passado terminei com uma musica da Rihanna e Eminem "The Monster"...ainda não tinha desistido...este ano vou terminar com uma musica que também tem um grande significado para mim...e sem olhar para trás acompanhar o "ilusório" sentimento de esperança de um excelente 2015..."desistir" e "iniciar"...pelas pessoas que amo... por mim...e fazer uso da frase "As acções ficam para quem as pratica"e também "ilusoriamente" acreditar que assim seja...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:10


Bolas...que se lixe

por Bolinha de Pelo, em 05.11.14

                                                                  10384553_969717913044200_3088292367997653875_n.png

Não sei se ás vezes é pior a sensação de arrependimento que nos ataca quando em determinadas alturas pensamos que se pudéssemos voltar no tempo teríamos a oportunidade de dar um rumo diferente ás situações ou a sensação da triste realidade que mesmo que pudéssemos voltar no tempo todas as situações seriam sempre inalteráveis nada as fazendo seguir um rumo diferente…

De há 2 anos para cá o meu dia de anos transformou-se no pior dia da minha vida, um dia no calendário que desejava que fosse possível “saltar”,o dia que me faz recordar que tudo aquilo que para mim sempre teve um significado tão importante na realidade nunca existiu, em nenhum momento foi verdadeiro.

O dia que me faz recordar mais acentuadamente a questão que varias vezes meto a mim própria “Se não conhecemos ou deixamos de conhecer aqueles que sempre nos foram próximos em tantos anos de convivências e partilhas como podemos algum dia vir a conhecer aqueles que nos são menos próximos ou aqueles que se aproximam?”Onde vamos ai presentemente e futuramente “desenterrar” a capacidade de superar e conseguir acreditar?

Numa das musicas da Ana Moura que mais adoro há uma frase “Tudo é eterno num segundo”…E tanto o são as coisas boas, como as coisas más…Infelizmente tal como temos o poder de em segundos eternizar para nós todas as coisas boas que nos acontecem na vida, também temos o poder de eternizar todas as más, porque na verdade só é eterno aquilo que nos marca…as coisas que nesses segundos tiveram o poder de nos transformar positivamente ou negativamente…De alguma forma nos alterar…

Quase todos os dias,se não todos, desses seiscentos e tal dias banais do calendário, os meus pensamentos em certas alturas navegam sempre em direcção ao mesmo “local no tempo” e dou por mim a fazer-me sempre a mesma pergunta sem resposta… “Porque?”…”Quais as razões?”…”vivemos todos uma mentira?”…”Valorizei aos extremos coisas que nunca existiram?”...”Como é possível?”…mas esses pensamentos vão passando em silencio nesses dias sem significado acabando sempre por me provocar uma certa tristeza momentânea que tento sempre “travar” com a frase “Bolas que se lixe”…mas no meu dia de anos esses pensamentos intensificam-se provocando-me realmente um estado de tristeza incontrolável e duradoiro principalmente quando me apercebo que mesmo que pudesse voltar no tempo todas as situações eram inalteráveis e o presente seria o mesmo porque bastaram segundos para conhecer quem “desconheci” a vida inteira…segundos que tornaram o presente imperdoável…

Talvez um dia mais tarde seja possível voltar a juntar ao meu dia de anos outros valores que lhe deiam um novo significado e só posso desejar que esses sejam verdadeiros e eternos...

...E como hoje é outro dia....."Bolas...que se lixe"...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:57


para ti avó

por Bolinha de Pelo, em 17.07.14

 

Face a certas situações ainda não consegui descobrir que sabedoria adquiri...talvez tenha aprendido a deixar de fazer promessas a alguém que está a morrer...talvez tenha aprendido que verdades absolutas não existem...que o que foi verdade um dia, outro dia pode deixar de o ser...que é um erro acreditarmos que existem verdades inalteráveis...mas foi um erro que não me trouxe qualquer espécie de sabedoria ao presente...simplesmente desilusão, porque acreditei tanto nessas "verdades inalteráveis" que te fiz uma promessa com a certeza que a ia cumprir...um facto alguma vez impossível de ser alterado...fiz porque acreditei sem uma ponta de dúvida...

Quando o meu pai antes de morrer me pediu para deixar de fumar, mesmo ele estando a morrer e ser o seu ultimo desejo, fui incapaz de lhe prometer isso e disse-lhe que não podia prometer o que sabia que seria incapaz de cumprir porque sempre acreditei que quando prometemos algo a alguém estamos a criar um elo de lealdade baseado na verdade e ou somos ou não capazes de o assumir...só devemos prometer aquilo que assumimos como uma verdade...e mesmo que fosse uma mentira piedosa para satisfazer o desejo de alguém que estava a morrer iria ser uma promessa de mentira...sem elo de ligação nenhum...e bem no fundo saberíamos ambos que não era verdadeira...era só o simples sim a um desejo pelo simples facto de esse alguém estar a morrer...

Sempre achei de um egoísmo total quando as pessoas estão a morrer e pedem últimos desejos aos vivos obrigando os vivos a ficar em vida com a obrigação de satisfazerem os seus desejos...para algumas pessoas o facto de ter recusado um dos últimos desejos que o meu pai me pediu foi visto como um acto frio e insensível...o simples facto..."se ele está a morrer e te pede porque não pudeste dizer que sim?"...

Que banalização da vida e da morte quando nos dignamos á mentira por piedade...então não o prometi e vivo bem com isso...mas a ti avó fiz-te uma promessa sem me teres pedido...fiz-te essa promessa a olhar para o teu caixão e escrevia no teu livro de condolências...fiz porque acreditei na verdade que de livre vontade de prometi...fiz porque cometi o tal erro de acreditar que existem verdades inalteráveis...

Então avó, peço-te perdão pela promessa que te fiz e já não vou cumprir, mas se de alguma forma os mortos tiverem ligação aos vivos sabes bem as razões porque não a vou mais cumprir…unico e ialteravel até hoje só o meu amor e respeito por ti...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:54


Um verão sem nuvens

por Bolinha de Pelo, em 11.06.14

"E no meio de um inverno eu finalmente aprendi que havia dentro de mim um verão invencível" Albert Camus

Talvez o mundo seja mais racional e lógico do que a forma como o vejo e talvez existam sempre razões que justifiquem os acontecimentos.

O que não fez sentido um dia talvez acabe sempre por fazer mais tarde quando aparece esse tal "sentido" que nos faz deixar de andar á toa. Talvez esse sentido até não explique nada, apenas nos apresente "uma razão para..."

No fundo tudo o que precisamos é sempre de algo que de uma forma ou de outra nos justifique os acontecimentos para nos podermos distanciar da ideia aterradora que os acontecimentos não tem razão nem logica para acontecerem, são meros acasos injustificáveis e nós simples mortais á mercê deles...

Durante quase dois anos tenho tentado encontrar razões logicas, justificações ,motivos para tantos acontecimentos que não percebi...

No fundo faz parte da natureza humana o "tentarmos perceber", "justificar os "Porquês", encontrar "razões",não que o facto de obtermos essa informação altere os acontecimentos, mas dá-nos a paz de perceber "porquê"...

É pouco, mas é suficiente…

Talvez a razão logica tenha sido esse "verão invencível" que descobri em mim no meio do tal "Inverno" de tantos acontecimentos incompreendidos, no entanto quando entro no meu estado mais lucido apercebo-me das nuvens que povoam esse "verão" e por vezes tapam o sol...no meu estado mais consciente e racional apercebo-me que sigo um pouco a doutrina de Maquiavel "os fins justificam os meios" e cada vez me aproximo mais dessa verdade porque nesse "verão invencível" que descobri no meio do "inverno"que habitava em mim, o principal objectivo é o final que "eu" escrevi.

Receio as razões que me movem tão determinadamente em direcção ao final, assusta-me o  orgulho soberbo de saber ser capaz de ultrapassar todos os limites do razoável....

Talvez todas as nuvens que povoam esse tal “verão” desenterrado no meio do” inverno” se dissolvessem se as razões e os motivos que me movem em direcção ao final que escrevi fossem outras...

Assusta-me pensar quando chegar ao derradeiro final que objectivos existirão mais, se esse tal "verão" volta a ser substituído pelo “inverno” ou se se mantém e eu encontre outras razões e possa enfim viver o tal "verão invencível" já sem nuvens, porque embora essa descoberta me tenha dado a razão que tanto tenho tentado encontrar vivo sem duvida um "verão" cheio de nuvens...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:11


BOM ANO 2014...

por Bolinha de Pelo, em 31.12.13

...E depois de um 2013 a ser "atacada" por ideias "infelizes"...e "bombardeada" pela "face" escondida daqueles q pensava conhecer...amigos e familia...poderei dizer que este foi realmente o ano de todas as "revelações"..."decisões"e "trapalhadas"...e vou entrar em 2014 com uma certeza...ideias por mais infelizes que possam ser nunca as deixarei de ter...mas alguns amigos e familiares deixei mesmo de os ter...e como acredito sempre em finais felizes acredito que em 2014 possa surgir a tal ideia "feliz" e partilha-la com os velhos amigos que entram comigo 2014 com a mesma "face" que mantiveram em 2013..com os novos amigos que conheci e esperar que nunca me revelem uma segunda "face"...e com a pouca familia que honra o significado de familia...e chegou a altura de desejar um excelente ano á minha mãe e á minha mana..e aos meus velhos e novos amigos...e deixar aqui um grande beijinho de saudades ao meu pai e aos meus avós...e já agora um video para o que ficou em 2013...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:54


DESILUSÃO

por Bolinha de Pelo, em 05.09.13

 

Dificilmente conseguimos expressar por palavras o gosto amargo que o sabor da desilusão nos deixa no coração...

Certas vezes ouvimos aquela frase "cliché"..."Ainda bem que isto aconteceu porque..."

Entramos no faceboock e deparamo-nos com milhares dessas frases partilhadas de mural em mural como verdades inalteráveis...frases que têm como finalidade transformar o mau da vida em "aprendizagem"...em "crescimento"...em "evolução"...

Na realidade essas frases bonitas são apenas frases....frases criadas com o objectivo de nos podermos sentir um pouco melhor perante o pior que nos sentimos...um escape perante a realidade que nos magoa...uma forma de vermos algo de positivo no cáus...mas nada que é mau tem um lado bom.. ou é bom...ou é mau.. não existe lado bom do mau...não existe um lado bom da desilusão...não existe aprendizagem...não existe crescimento e muito menos evolução...

A realidade é que a desilusão é aquilo que faz estremecer todas as certezas que sempre tivemos sobre alguém, que afecta os nossos mais profundos sentimentos, que nos leva a quebrar promessas que um dia julgámos inquebráveis, que nos faz questionar se todas as expectativas, toda a confiança, todo o amor e carinho, toda a sinceridade, toda a certeza, todo o sentimento não terão sido ilusórios...se nos desiludiu...talvez nunca tenha existido de verdade...não existe "ainda bem que isto aconteceu porque...."

Existe uma frase Também muito usada "As pessoas não nos desiludem...simplesmente se revelam"...e se esta frase tem algum fundo de verdade, talvez fosse preferível vivermos toda a nossa vida ignorantes, do que alguma vez nos apercebermos disso...continuarmos a acreditar que aquelas pessoas que sempre olhámos como sensacionais e perfeitas para nós o seriam sempre e para sempre...continuarmos a viver longe dessa "revelação", agarrados á ignorância, mas felizes, sem nos metermos horas a olhar para frases que nos falam em"aprendizagem"..."crescimento"..."evolução"...procurando desesperadamente feito loucos perceber o que aprendemos...entender que tipo de crescimento tivemos...qual o passo da evolução que atingimos...e no final nos apercebermos que na realidade não aprendemos nada de novo...não houve contribuição nenhuma para o nosso crescimento...e encontramo-nos no mesmo patamar da evolução em que sempre estivemos...simplesmente nos desiludimos...simplesmente adquirimos dois novos sentimentos...mágoa e tristeza...simplesmente isso porque caiu-nos aos pés quem sempre metemos num pedestal...simplesmente nos sentimos tristes e magoados...é apenas isso...ou tudo isso...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:19


mudança de espaço

por Bolinha de Pelo, em 03.09.13

MUDANÇA DO ESPAÇO DO BOLINHA DE PELO DO WORDPRESS PARA BLOGS DO SAPO (03-09-2013)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:25


Mais sobre mim

foto do autor