Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




E está a chegar o Natal...

por Bolinha de Pelo, em 23.12.15

E está a chegar o Natal...pessoalmente sempre gostei da véspera de Natal...desde pequena...obviamente que ao longo do tempo o significado do Natal foi-se alterando passando de uma festa de parodia com os meus primos e a loucura de abrir os presentes, chegando aos dias de hoje com um significado totalmente diferente e mais profundo...a troca de presentes passou a ser mera tradição...as brincadeiras malucas com os meus primos foram morrendo no tempo...deixamos de ser crianças e a véspera de Natal transformou-se numa simples reunião com uma família minúscula, mas não com menor importância pois adquirimos um novo valor...o valor da partilha dessa noite com aqueles que nos são queridos....o desejo, á medida que o tempo passa que todas essas pessoas que tanto amamos se mantenham presentes em Natais futuros...

De entre a hipocrisia que é o Natal, passando pela quantidade de almoços e jantares solidários nesta época que são “concedidos” aqueles que passam mal e que durante o ano vivem á margem de politicas que não fazem nada por eles...faz-me pensar que talvez todos estes almoços e jantares solidários não sejam mais que uma forma de nos sentirmos um pouco melhor por durante um ano inteiro olharmos tão pouco em redor...uma forma de “apaziguar” a nossa consciência como seres humanos...não sei...e com isto mais coisas...a família que “não se grama” e quase se mata durante o ano e se junta sorridente no Natal...no comercio que é sustentado desmedidamente por uma tradição...pelas SMS que recebemos de “amigos” que não falamos durante o ano e nem sabemos se estão ou se estamos mortos ou vivos e enviam uma SMS repetida em grande escala para todos os contactos do TLM a desejar um bom Natal, afinal não custa nada, pois a maior parte das redes de TLM já tem SMS á borla praticamente para todas as redes e é bonito enviar SMS de feliz Natal...mesmo que o significado se encontre apenas em enviar a SMS...e como isso mais coisas, mas apesar deste “banho de hipocrisia” eu gosto da ceia de Natal, talvez porque o verdadeiro sentido se encontre no significado que cada um de nós lhe dá...a forma como o vimos...o vivemos...o sentimos...

Na realidade não é só o Natal que é uma hipocrisia...é a vida em si...simplesmente nesta altura essa hipocrisia torna-se mais visível...

Não sei se alguém se apercebeu no telejornal da RTP1 no dia em que foi a Cimeira de Paris, em que foi aprovado um novo acordo entre vários Países pela protecção do clima e do ambiente, logo depois de terem dado a noticia, a noticia seguinte foi da árvore de Natal gigante que ia iluminar o Rossio com mais de 2 milhões de lâmpadas, e do resto da iluminação de Lisboa, dando um orçamento que rondava mais que os 300 mil euros...Podiam ao menos ter distanciado as noticias uma da outra...pelo menos para ser menos perceptível a hipocrisia...

Só neste espaço de segundos atingimos o limite da hipocrisia num conjunto de coisas...Reunimo-nos para arranjar uma forma de proteger o clima e acendemos de seguida milhões de luzes...gastamos milhões em iluminação e electricidade quando esse dinheiro podia ser usado anualmente para se “conceder” mais que hipócritas ceias de Natal aqueles que passam mal o ano inteiro...no fim...tal como estas “ceias de Natal solidárias” fazem compensar um ano de abandono...talvez seja a Noite que se apagam todas as luzes durante um minuto pelo ambiente, que também compense para a consciência humana este exagero nesta altura...

Não sei...eu pessoalmente preferia viver num pais que não tivesse iluminação no Natal, mas que todas as pessoas pudessem passar bem...ter algum nível de vida..

Não sei, o meu “espírito de Natal” encontra-se bem longe desta “visão”...

Não sei se é só Portugal que é um pais do qual faz parte um povo hipócrita, se o resto do mundo também é assim...

Lembrei-me de outra coisa nesta altura...antes das lojas de indianos, muçulmanos, paquistaneses inundarem Portugal de uma ponta á outra, fazíamos todas as compras até ao ultimo pormenor porque sabíamos que não íamos ter nada aberto a partir da véspera de Natal e se o dia de Natal calhasse num sábado, até segunda não existia uma loja aberta...actualmente, deixamos de ter esse problema...ate na própria véspera de Natal temos um indiano....um paquistanês ou um Muçulmano aberto ate quase á meia-noite para nos “desenrascar” com o que falta e nos tirar a preocupação de um dia seguinte sem nada aberto...

Fora o ano inteiro que nos vão “desenrascando”, com os seus produtos “acessíveis” a bolsos que já não conseguem pagar marcas...mas nós de boca cheia criticamos-os...hipocritamente usamos as lojas deles para nosso beneficio mas irrita-nos ver lojas deles espalhadas por todo o lado e vê-los a enriquecer com o nosso dinheiro...

Somos sem duvida um povo hipócrita...se quisermos ser realistas e olhar a realidade de frente deveríamos vê-los como um povo que dá verdadeiramente significado á palavra trabalho e luta..eles não fecham de domingo a segunda...abrem de manhã cedo e fecham a altas horas da noite...nem há hora de almoço fecham...e nós Portugueses???

Lutamos desta forma pelas coisas que construímos???

Se quisermos ser realistas, como trabalha a maior parte do povo português????

A maior parte do povo português...vive “portuguesmente”.. não se privando da sua hora de fecho...não se privando do seu almoço...do seu cafezinho a meio da manha...da sua imperial a meio da tarde...da conversa continua sobre um incidente qualquer da vida ou simplesmente sobre politica ou futebol com um conhecido, amigo ou cliente deixando uma fila interminável de pessoas á espera de serem atendidas...de enviar as suas SMS com pessoas para atender...de atender o seu telefone e dar continuidade a uma conversa no meio de um atendimento...de ter pressa em atender o cliente...o muçulmano...o indiano...o paquistanês...simplesmente nos atende...

Outra realidade. Entramos numa loja de um português a procura de um determinado produto...não há...o português diz que o vai pedir e que no dia seguinte o tem...e quantas vezes nos dirigimos á loja e nem no dia seguinte...nem depois do dia seguinte o produto lá esta...passamos num indiano...paquistanês...muçulmano...pedimos o produto e ele não o tem...mas também não o encomendamos.. havendo tantas lojas deles decidimos ir a outra...no entanto, mesmo não o tendo encomendado no dia seguinte ele tem-o lá e informa-nos...

hipocritamente criticamos o quê afinal???

Na verdade as lojas deles dão-nos jeito...custa-nos é assumir isso porque na realidade somos um povo que se arma em defensor de direitos e apregoa igualdade e o fim da descriminação, mas possui sempre em si uma pitada de xenofobia...quer queiramos quer não estamos a se-lo quando dizemos a frase “Bolas o nosso pais é só lojas de paquistaneses, indianos, Muçulmanos que estão a enriquecer á nossa conta”...quando dizemos uma frase dessas só pela frase estamos a trata-los como “desiguais”...um à parte de nós”...sentindo-os como “invasores”...

Mas...apesar de toda a hipocrisia geral e Natalícia, voltando ao Natal...mais precisamente á ceia de Natal...eu gosto da ceia de Natal, porque o significado que lhe dou é a comemoração do que durante o ano me une ás pessoas que verdadeiramente amo e me amam...talvez por isso actualmente sejamos já tão poucos a comemora-la em conjunto...e como em todos os Natais lá vou convidando um/a amigo/a ou outro que está sozinho/a para se sentar á mesa da minha mãe na véspera de Natal e cear connosco...acho que é esse o verdadeiro espírito...a união que celebra o amor e a partilha de um carinho pelo próximo que vale mais que qualquer refeição por si só “concedida solidariamente”...

E como é natal...aqui ficam os meus desejos de um feliz Natal e um excelente 2016 se já aqui não vier hoje com Marisa...”O melhor de mim”...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32



Mais sobre mim

foto do autor