Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




para ti avó

por Bolinha de Pelo, em 17.07.14

 

Face a certas situações ainda não consegui descobrir que sabedoria adquiri...talvez tenha aprendido a deixar de fazer promessas a alguém que está a morrer...talvez tenha aprendido que verdades absolutas não existem...que o que foi verdade um dia, outro dia pode deixar de o ser...que é um erro acreditarmos que existem verdades inalteráveis...mas foi um erro que não me trouxe qualquer espécie de sabedoria ao presente...simplesmente desilusão, porque acreditei tanto nessas "verdades inalteráveis" que te fiz uma promessa com a certeza que a ia cumprir...um facto alguma vez impossível de ser alterado...fiz porque acreditei sem uma ponta de dúvida...

Quando o meu pai antes de morrer me pediu para deixar de fumar, mesmo ele estando a morrer e ser o seu ultimo desejo, fui incapaz de lhe prometer isso e disse-lhe que não podia prometer o que sabia que seria incapaz de cumprir porque sempre acreditei que quando prometemos algo a alguém estamos a criar um elo de lealdade baseado na verdade e ou somos ou não capazes de o assumir...só devemos prometer aquilo que assumimos como uma verdade...e mesmo que fosse uma mentira piedosa para satisfazer o desejo de alguém que estava a morrer iria ser uma promessa de mentira...sem elo de ligação nenhum...e bem no fundo saberíamos ambos que não era verdadeira...era só o simples sim a um desejo pelo simples facto de esse alguém estar a morrer...

Sempre achei de um egoísmo total quando as pessoas estão a morrer e pedem últimos desejos aos vivos obrigando os vivos a ficar em vida com a obrigação de satisfazerem os seus desejos...para algumas pessoas o facto de ter recusado um dos últimos desejos que o meu pai me pediu foi visto como um acto frio e insensível...o simples facto..."se ele está a morrer e te pede porque não pudeste dizer que sim?"...

Que banalização da vida e da morte quando nos dignamos á mentira por piedade...então não o prometi e vivo bem com isso...mas a ti avó fiz-te uma promessa sem me teres pedido...fiz-te essa promessa a olhar para o teu caixão e escrevia no teu livro de condolências...fiz porque acreditei na verdade que de livre vontade de prometi...fiz porque cometi o tal erro de acreditar que existem verdades inalteráveis...

Então avó, peço-te perdão pela promessa que te fiz e já não vou cumprir, mas se de alguma forma os mortos tiverem ligação aos vivos sabes bem as razões porque não a vou mais cumprir…unico e ialteravel até hoje só o meu amor e respeito por ti...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:54


Mais sobre mim

foto do autor